senhor PRUDÊNCIO

São sapatos, malas, cintos e luvas – a senhor PRUDÊNCIO, marca portuguesa de Acessórios e Calçado criada por João Pedro Filipe em 2012 é todo um orgulho nacional ao qual não podemos ficar indiferentes.

João Pedro Filipe começou os estudos no Citex, actual Modatex no Porto, terminando os estudos no IMF de Paris em 2008. Conseguiu estagiar com Felipe Oliveira Baptista e destaca esses tempos como fundamentais no conhecimento e contacto com a indústria têxtil internacional. Em 2010 e já em território nacional com base no Porto, inaugura o João Pedro Filipe Studio e dedica-se ao design e criação de calçado, iniciando diversas colaborações com profissionais da indústria, como Maria Gambina ou Ricardo Andrez.

O designer encontrou no dinamismo e qualidade da indústria do calçado nacional um factor decisivo para o iniciar deste percurso. O facto de assentar residência perto do triângulo industrial de Guimarães, Felgueiras e S. João da Madeira, coadjuvaram nesta decisão. E fez bem. O calçado é um dos sectores mais internacionalizados da economia portuguesa. É um bom exemplo de um sector tradicional de mão-de-obra intensiva que conseguiu modernizar-se com sucesso nos últimos 20 anos. O mercado nacional da indústria do calçado caracteriza-se hoje pela qualidade, capacidade técnica com uma base tecnológica sólida, associado a um design jovem e a uma capacidade de resposta flexível às mais diversas exigências do mercado internacional. Em suma, 85% da produção nacional é exportação. Como não seguir e apostar nesta corrente dinâmica e altamente modernizada?

Em 2012 João Pedro Filipe, decide apresentar um novo projecto de marca – a senhor PRUDÊNCIO – ao Fashion Hub,  plataforma de moda criada ao abrigo do programa de Guimarães Capital Europeia da Cultura 2012.

Finalista do Fashion Hub, ganhou o British Council Young Creative Fashion Entrepreneur Award 2012 e em Setembro rumou à London Fashion Week estreando-se a nível internacional com a colecção TURBINE.

Em Fevereiro de 2013 participa numa embaixada de nove designers portugueses como integrantes de um International Fashion Showcase organizado pelo British Fashion Council. Este evento, paralelo e ligado à London Fashion Week que apoia novos projectos internacionais será novamente um palco frutífero e fundamental no contacto da marca com a imprensa internacional e respectivos distribuidores.

Desde então, a senhor PRUDÊNCIO já saiu em diversas publicações mainstream, desde os jornais nacionais até às publicações mais cool como a Fucking Young ou a incontornável Hypebeast.

A senhor PRUDÊNCIO sintetiza a autenticidade da mão-de-obra dos sapateiros dos anos 50 (ou a homenagem ao nome e profissão do avô do designer), assim como elogia e promove a actual indústria nacional do calçado, pela qualidade e contemporaneidade estética do producto final. A colecção TURBINE ou mais especificamente a última série GURI LIMIT.ED. que levou a Londres e na qual trabalhou em parceria com a ilustradora e tatuadora Lara Mendes (Porto), traduzem o sucesso de uma indústria que tem capacidade de resposta e é flexível quer na produção de grandes como de pequenas séries.

A senhor PRUDÊNCIO tem um cunho retro-futurista importante. Uma linguagem estética que bebe do passado, mas que ao mesmo tempo rompe com ele para situar-se num registo estético e contemporâneo de luxo.

“O lado artesanal da minha colecção não tem tanto a ver com a estética, mas com os modos e sistemas de produção. Eu tenho sapatilhas e o meu avô não fazia sapatilhas, mas o packaging que eu uso são caixas de madeira, onde se podem guardar os sapatos, como ele também fazia” (in DN Magazine Setembro 2012).

A presença da customizada Dry Drill (objecto ex-libris da marca) tanto nos remete para  a forma de como o seu avô entregava os sapatos aos seus clientes, como para os sacos que desenhou e que podem ser adaptados a bicicletas. De resto, o código imprimido ao estilismo das sessões fotográficas diz-nos quase tudo sobre o público ao qual a marca quer chegar.

Foi com a TURBINE que João Pedro Filipe definiu a filosofia de base da marca. O designer inspirou-se nos anos 70 e nos muscle cars, nas curvas, no dinamismo e movimento que o design destes carros encerram. São carros de potência e performance elevada. O designer intelectualizou esta estética com a poesia da fase futurista – sensionalista de Álvaro de Campos. O resultado é bastante interessante, o produto celebra esse tal “futurismo eufórico”  ou os “maquinismos em fúria”, a velocidade e a força, a complexidade e a dinâmica da vida moderna.

“Ó rodas, ó engrenagens, r-r-r-r-r-r eterno!” – Ode Triunfal

O produto reflecte uma indústria nacional do calçado actualizada e viva, celebrando-a com um design contemporâneo de alta qualidade. Desde modelos desportivos aos mais formais, o designer adapta a produção dos diferentes tipos de calçado e acessórios aos melhores provedores nacionais.

É assim que podemos situar a marca no patamar das marcas internacionais de luxo. Há um erotismo patente nas sessões fotográficas, talvez um “sentir tudo de todas as maneiras” (Álvaro de Campos), a masculinidade e uma certa agressividade consciente. Há um statement óbvio de ruptura com uma certa linguagem moral tradicional. Ou a irregularidade do ser. A PRUDÊNCIO fala para homens cultos, cosmopolitas, com poder de compra, informados, com consciência ambiental e que conhecem o mercado das marcas de qualidade.

Interessante a ideia do personagem GURI, narrador voyeurista que apresenta uma nova série de modelos com base na mesma filosofia na Colecção AW13. Desta vez são os anos 80, a importância das marcas e o non-sense do kitsh na hora de vestir. Mas o que será o kitsh daqui a outros 20 anos?

                                     “Ah, poder exprimir-me todo como um motor se exprime!

                                     Ser completo como uma máquina!

                                     Poder ir na vida triunfante como um automóvel último-modêlo”

Álvaro de Campos, Ode Triunfal.
 

No próximo dia 29 de Junho a senhor PRUDÊNCIO apresenta a nova colecção BE//LIVE SS14 na capital francesa, através do NO SEASON.COP Showroom, onde permanecerá até ao dia 5 de Julho. É mais uma oportunidade de levantar vôo para uma marca que tem como objectivo principal a internacionalização.

A senhor PRUDÊNCIO é já um exemplo sólido para as novas marcas de calçado portuguesas que desejam seguir os mesmos caminhos. O nome é português: é uma esdrúxula sem medos, que gera motivo de conversa em ambientes internacionais, não só pela história por detrás do nome como pela sua forma de pronunciação.

Texto Maria Falé

Deixar uma resposta / Leave a comment

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: